sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Brigitte Lahaie, a Deusa Nórdica de Jean Rollin



Conhecida do público por sua participação nos filmes do diretor francês Jean Rollin, e por ele denominada “deusa nórdica”, Brigitte Lahaie pode ser considerada a principal figura feminina dos filmes B franceses. A carreira de Brigitte Van Meerhaegue (nome de batismo, 1955) começou na década de 1970 em filmes “para adultos”. Produção que, ao contrário de renegar, como é o costume das atrizes que largam o hardcore, ela assume agradecida: “Não me importo em falar sobre esses filmes.” – disse em entrevista – “Foram eles que me fizeram famosa, e seria ridículo negá-los. Fui a primeira sex star francesa, sendo assim, essa reputação me acompanha. Adorei o trabalho, e foi realmente importante para mim. Eu era muito tímida, muito insegura, e fazer esses filmes aumentou minha auto-confiança”. Mas chama a atenção para o fato de ter feito muitas outras coisas, achando estranho as pessoas ainda se interessarem por esse aspecto de sua carreira (imagine!).

Foi durante as filmagens do pornô Vibrations Sexuelles (1977), em que interpretava uma psiquiatra, que Brigitte conheceu Jean Rollin, a cargo da direção. Graças à amizade que surgiu entre os dois, ela participou de seu primeiro filme “sério”: Les Raisins de La Mort (1978), produção de horror sobre uvas envenenadas que transformam os habitantes de um vilarejo em zumbis. No ano seguinte, após mais uma leva de filmes de sexo explícito, larga definitivamente o gênero, passando para o softcore. Trabalha novamente para Rollin em Fascination (1979) e em seguida, La Nuit des Traquées (1980).

A partir de então, Brigitte Lahaie segue a carreira revezando entre filmes eróticos, exploitation e de horror, contabilizando mais de cem filmes no currículo. Destaque para sua colaboração com outro grande tarado do écran: Jess Franco (Jê Brûle de Partout /1979; Faceless / 1987; Dark Mission /1988).

Em 1990 trabalhou em Henry & June, de Phillip Kaufman, como uma prostituta, participando de poucas produções desde então, dentre elas Les Deux Orphelines Vampires (1997) e La Fiancée de Dracula (2002), ambas dirigidas por Rollin.

Um comentário:

Mychel disse...

Muito obrigado pela resposta e visita.