terça-feira, 5 de maio de 2020



Não creu neu, se finou-se...vampiros no audiovisual brasileiro

O isolamento social necessário fez com que adiássemos as próximas entrevistas do canal Mondo Darko. Sendo assim, com o apoio dos amigos Leandro Caraça e Laura Canepa, que pesquisaram o assunto e desenvolveram o texto, e Felipe Braga que deu voz à narração, apresentamos esse breve e inicial relato sobre os vampiros no audiovisual brasileiro. Divirtam-se. Aproveitem e se inscrevam no canal.


segunda-feira, 23 de março de 2020

São Cipriano no reino dos exus

O Livro de São Cipriano é um conhecido grimório que há décadas vem sendo vendido nos mais variados formatos, por diversas editoras, em pontos de venda diversificados, desde casas de umbanda até livrarias sofisticadas. Seus conjuros, receitas mágicas e orações, para inúmeros fins, foram adaptados e incorporados a outros livros de magia popular.
Neste novo episódio de Mondo Darko, o pesquisador Leopoldo Tauffenbach, fala sobre este “alamanaque mágico”, assim como sua repercussão e absorção pela umbanda e quimbanda. Além disso, faz novas asserções sobre os exus e pombagiras, sua especialidade.


Acesse a página do Mondo Darko, assista este e os outros vídeos do canal e se inscreva para receber notificações.





Também aproveite e veja outro video que postamos com o Leopoldo, especificamente sobre Exus, em nosso antigo canal, o Fora de Sintonia.



sábado, 1 de fevereiro de 2020

Novo episódio de Mondo Darko no ar: Famigerado! O Bandido da Luz Vermelha.
Com Gonçalo Junior.

O catarinense João Acácio Pereira da Costa, o Bandido da Luz Vermelha, é o criminoso mais famoso da crônica policial brasileira. Tanto que seus feitos serviram de inspiração para uma obra-prima cinematográfica batizada com a alcunha do meliante e dirigida por Rogério Sganzerla, conterrâneo de João Acácio. O jornalista Gonçalo Junior teve acesso a mais de 20 mil páginas de mais de 80 processos criminais movidos contra João Acácio em São Paulo, entre 1967 e 1975, e escreveu o livro "Famigerado! - A História de Luz Vermelha, o Bandido que Aterrorizou São Paulo nos Anos de 1960".


segunda-feira, 23 de dezembro de 2019

Fora de Sintonia apresenta: Alfredo Sternheim

O canal Fora de Sintonia, no início de 2018, apresentou um episódio especial dividido em duas partes, sobre a trajetória do cineasta Alfredo Sternheim, falecido em dezembro do ano passado. 
Na primeira parte, Alfredo relembra o início de sua carreira cinematográfica, quandocomeçou a trabalhar no início dos anos 60 como assistente do diretor Walter Hugo Khouri nos filmes "A Ilha" (1963) e "Noite Vazia" (1964). Depois dessa experiência, Alfredo realizou 25 filmes e se tornou um dos diretores mais importantes das produções que eram realizadas na chamada Boca do Lixo, na região central de São Paulo. O cineasta fala nesta primeira parte sobre seus primeiros seis trabalhos: "Paixão na Praia" (1972), estrelado pelos atores Ewerton de Castro e Norma Bengell, "Anjo Loiro" (1973), com Vera Fisher e Mario Benvenutti, "Pureza Proibida" (1974), com Rossana Ghessa e Zózimo Bulbul, "Lucíola, o Anjo Pecador" (1975), com Rossana Ghessa e Carlo Mossy, "Mulher Desejada" (1978), com Kate Hansen e Eduardo Tornaghi, e "Herança dos Devassos" (1979), com Sandra Bréa e Roberto Maya.
Na segunda parte da entrevista, o cineasta comenta sobre os sete filmes que dirigiu nos anos 80, antes de o cinema da Boca ser dominado pelo sexo explícito: "Corpo Devasso" (1980), com David Cardoso e Neide Ribeiro, "Violência na Carne" (1980), com Helena Ramos e Neide Ribeiro, o episódio "Gatas no Cio" do filme "Sacanagem" (1981), com Neide Ribeiro e Elisabeth Hartmann, "Amor de Perversão" (1982), com Paulo Guarnieri e Alvamar Taddei, "As Prostitutas do Dr. Alberto" (1981), com Meiry Vieira e Serafim Gonzalez, "Brisas do Amor" (1982), com Sandra Graffi e Sônia Mamede, e "Tensão e Desejo" (1983), com Sandra Graffi, Zilda Mayo e Zélia Diniz. Alfredo ainda dirigiu 13 filmes de sexo explícito nos anos 80, pois era a única forma de continuar fazendo cinema, já que os exibidores só queriam obras do gênero para passar nas telas. O cineasta preferiu não usar pseudônimo e acabou enfrentando problemas por causa disso. Dessa fase, destacam-se os filmes "O Sexo dos Anormais" (1984), com Cláudia Wonder e Sandra Midori, "Borboletas e Garanhões" (1985), com Débora Muniz e Sandra Midori, e "Corpos Quentes" (1987), com Ludmila Batalov e Elias Breda. Alfredo também fala sobre sua atuação como consultor da série "Magnífica 70", lançada na TV a cabo pela HBO Brasil em 2015. O cineasta comenta ainda sobre seu retorno à direção em 2014, quando foi responsável por um dos episódios do filme "Memórias da Boca", lançado em 2015, e que contou com a participação de duas de suas estrelas preferidas: Elisabeth Hartmann e Neide Ribeiro.

Assine os canais Fora de Sintonia e Mondo Darko para ser avisado de nossas próximas atrações.



Parte 1:





Parte 2:



sexta-feira, 22 de novembro de 2019



Joelma 23° Andar, um filme catástrofe espírita

O incêndio no Edifício Joelma foi uma das maiores catástrofes registradas no Brasil. A tragédia, ocorrida em São Paulo no dia 1º de fevereiro de 1974, deixou 187 mortos e mais de 300 feridos. O incêndio foi tema do filme "Joelma 23º Andar" (1980), que tem uma abordagem espírita por ser baseado no livro "Somos Seis", obra psicografada pelo médium Chico Xavier. O diretor Clery Cunha e a pesquisadora Laura Canepa falam sobre os bastidores do "disaster movie" brasileiro.
Assista ao vídeo no canal Mondo Darko e se inscreva.



quarta-feira, 20 de novembro de 2019


Filmes Malditos


Realmente existem filmes amaldiçoados? Ou seriam apenas lendas urbanas envolvendo certas produções cinematográficas? O pesquisador de cinema de horror Carlos Primati fala sobre obras do cinema norte-americano, italiano e brasileiro que foram marcadas por tragédias no set de filmagem ou fora dele.

Inscreva-se no canal Mondo Darko para ser avisado de novas publicações.


terça-feira, 19 de novembro de 2019


De volta com novidades (espero conseguir manter uma regularidade maior daqui pra frente).

Desde a última postagem muita coisa aconteceu. Desde um pós-doutorado, até uma investida em novas atividades. Entre elas, a produção de vídeos para o Youtube. Atividade que se tornou com o tempo bastante prazerosa, não só pelos temas abordados como pelos entrevistados. 
O Canal Fora de Sintonia foi o primeiro, iniciado em 2016, com 30 programas na rede. 31, se contarmos um que foi censurado (isso é outra história).
O Fora de Sintonia tem como proposta entrevistas de cunho cultural, mostrando de forma diversificada o inusitado, tanto nas atividades dos entrevistados como em vídeos temáticos, postados em edições especiais.
Bastante abrangente - de vampiros a produções da Boca do Lixo -, este canal serviu de base para experimentações e aprimoramento técnico em uma área incialmente nova.
Atualmente, o Canal Fora de Sintonia abriu espaço para um irmão mais novo: o Mondo Darko. Com equipe mais enxuta, tem um recorte mais específico: o horror. Investindo, como diria Jack Palance na abertura do extinto "Acredite se Quiser", no estranho, bizarro e inesperado.

Nas próximas postagens uma seleção das entrevistas mais emblemáticas dos canais, iniciando com o primeiro episódio do Mondo Darko.

E para quem não quer esperar, seguem os links para os canais no Youtube.
Se inscrevam em ambos, para serem notificados de novas postagens.

Fora de Sintonia



Mondo Darko